A Galeria Valbom apresenta a exposição “Então e a escultura?” de Júlio Pomar protagonizada por um conjunto de esculturas em bronze, produzidas em Paris em 2003-2004. O título da exposição é uma provocação, nossa, referenciando o conhecido texto do Artista referente à pintura (“Então e a pintura?” Edições Dom Quixote, 2001).

Esta exposição de escultura será a primeira centrada nesta importante área artística da carreira de Júlio Pomar. Estas obras não surgem, contudo, isoladas. As vinte e duas peças de bronze são acompanhadas por sete assemblages, setenta e três desenhos, que se repartem por sucessivos núcleos com início cronológico em 1946, e setenta e cinco publicações ilustradas por Júlio Pomar, e também álbuns e livros de artista, de modo a contextualizar uma vertente que igualmente é central na sua produção artística.

Catálogo

A exposição faz-se acompanhar por um catálogo, produzido em conjunto com a editora Caleidoscópio. Para além de reproduzir as obras expostas, apresenta um conjunto de textos de Nuno Júdice, Ana Cristina Cachola e Marta Espiridão, Raquel Guerra, Joana d’Oliva Monteiro, e Teresa Neto, sobre as várias componentes desta mostra.

Peça Vista Alegre | Júlio Pomar | Galeria Valbom

A Galeria comissariou à Vista Alegre a produção de uma peça de porcelana com uma obra de Júlio Pomar, mARTEnidade IV. A edição é limitada a 100 peças, numeradas.